Acumulação de líquido a nível do ouvido médio (interiormente ao tímpano) por período superior a 4 semanas.

A acumulação de líquido a nível do ouvido médio limita a movimentação do tímpano. Desta forma, os pacientes queixam-se de sensação de preenchimento do ouvido, distorção do som, diminuição da audição, estalidos nos ouvidos e sensação de se estar num túnel. Crianças pequenas têm muitas vezes dificuldade em expressar este tipo de queixas e quadro pode passar completamente despercebido.

Tratamento engloba desobstrução nasal (lavagens nasais/vasoconstritor nasal), desinflamação nasal (corticóide/ antihistamínico nasal), antihistamínico oral e manobra de Valsava (tentar expirar com a boca e o nariz fechados).

Caso não haja resposta ao primeiro nível de tratamento, deve realizar-se uma miringotomia. A miringotomia é um procedimento no qual é feita pequena perfuração no tímpano e aspirado o líquido acumulado no ouvido médio. Em adultos, este gesto pode ser realizado com anestesia local.

Na generalidade dos casos, há necessidade de realizar endoscopia nasal para observação da parte de trás das fossas nasais e assegurar que não existe nenhuma massa tumoral a impedir a drenagem normal do líquido do ouvido médio para as fossas nasais. Em crianças pequenas, em que seja evidente a hipertrofia dos adenoides a endoscopia nasal pode ser dispensada.

 

Explicação adicional

Em todos nós, a nível do ouvido médio (interiormente ao tímpano), é produzida continuamente uma pequena quantidade de muco.

Esse muco é drenado normalmente, através da tuba auditiva (tubo muito fino que permite comunicação entre o ouvido médio e a parte de trás das fossas nasais) para as fossas nasais.

Em algumas situações este sistema de drenagem não funciona, formando-se um “efeito de barragem” que leva à acumulação de líquido desde a tuba auditiva até ao ouvido médio.

A acumulação de líquido explica as queixas que os doentes apresentam.

À medida que o tempo vai passando, o líquido vai gelificando. Nesse processo, o tímpano e os ossículos do ouvido vão sendo lentamente deformados de modo irreversível. Esta deformação contribui para que a perda de audição vá aumentando e passe a ser permanente.

Qualquer quadro de obstrução nasal (constipação, gripe) desde que seja suficientemente intenso e prolongado pode bloquear a drenagem da tuba auditiva e dar origem ao “efeito de barragem”. Este “efeito de barragem” leva ao surgimento da otite média com efusão.

Esta situação surge muita das vezes quando o quadro de obstrução nasal já está em resolução e tipicamente tende a arrastar-se por algumas semanas.

Nos casos mais prolongados, deve ser excluída a possibilidade do “efeito de barragem”ser causado por tumores na parte de trás do nariz.

  • (+351) 961 599 999
  • geral@joaobarosa.pt
  • Aveiro

Acompanhe-me:

© 2018 João Barosa | Todos os direitos reservados

Feito por: